De mãos juntas, o obrigado dos jovens tailandeses: "Vamos continuar a ser fortes"

Os 12 rapazes e o treinador vão receber alta do hospital na próxima quinta-feira. Não entraram ao mesmo tempo, mas vão sair todos juntos

Com as mãos juntas, na típica saudação tailandesa, os 12 rapazes e o treinador que foram resgatados esta semana da gruta de Tham Luang, na Tailândia, agradeceram o apoio recebido. O Governo do país, que disponibilizou o vídeo, também partilhou um agradecimento público ao mundo inteiro.

Na gravação surgem todas as crianças e o treinador, ainda nas camas do hospital e de máscaras colocadas. Agradecem o apoio e a preocupação recebidos. "Agora estou muito bem, não se preocupem mais", diz um dos rapazes.

Há ainda agradecimentos aos Navy Seals tailandeses, ao governo e a todos os que se preocuparam com eles enquanto estiveram na gruta.

No mesmo dia em que foi disponibilizado o vídeo, o ministro da Saúde da Tailândia, Piyasakol Sakolsatayadorn, disse aos jornalistas que os doze rapazes e o seu treinador sairão do hospital de Chiang Rai no mesmo dia, na próxima quinta-feira.

Veja as mensagens deixadas pelos rapazes:

O obrigada da Tailândia

Entretanto, um outro vídeo, partilhado este domingo na página de Facebook do Governo tailandês, mostra o momento em que o mergulhador encontra os 13 desaparecidos no interior da na gruta e agradece a todos os países que se envolveram no resgate dos 13 jovens.

"O mundo é um apenas". É com esta mensagem que a Tailândia agradece o apoio recebido, sublinhando que foi essa união que permitiu o salvamento dos rapazes.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).