Trump cancela reunião com Putin devido à crise com a Ucrânia

Presidente dos Estados Unidos adia reunião com homólogo russo devido ao incidente entre a Marinha russa e três navios ucranianos no estreito de Kerch, na Crimeia.

"Com base no facto de os navios e os marinheiros não terem sido devolvidos à Ucrânia por parte da Rússia, decidi que o melhor para todas as partes interessadas é cancelar a minha reunião agendada na Argentina com o presidente Vladimir Putin. Aguardo com expectativa por uma cimeira importante assim que esta situação esteja resolvida!" Foi com esta mensagem no Twitter que o presidente dos EUA anunciou que já não vai encontrar-se com o homólogo russo.

Ainda hoje o Kremlin tinha confirmado a reunião entre os dois líderes durante a cimeira do G20 em Buenos Aires.

As tensões entre a Rússia e a Ucrânia voltaram a subir após a Rússia ter aberto fogo na tarde de domingo contra duas vedetas e um rebocador ucranianos que, na sua versão, estariam nas suas águas territoriais, perto da Crimeia, para forçá-los a parar. A Ucrânia afirma que o ataque ocorreu em águas neutras, depois de Moscovo decidir fechar o estreito de Kerch, para impedir o acesso de navios ucranianos no mar de Azov.

Na sequência do incidente, um tribunal em Simferopol, na Crimeia - território anexado pela Rússia em 2014 -, impôs dois meses de prisão preventiva aos 24 marinheiros. Os tripulantes dos navios aguardam julgamento, acusados de terem entrado ilegalmente em território russo.

Exclusivos

Premium

Leonídio Paulo Ferreira

Nuclear: quem tem, quem deixou de ter e quem quer

Guerrilha comunista na Grécia, bloqueio soviético de Berlim Ocidental ou Guerra da Coreia são alguns dos acontecimentos possíveis para datar o início da Guerra Fria, que alguns até fazem remontar à partilha da Europa em esferas de influência por Churchill e Estaline ainda o nazismo não tinha sido derrotado. Mas talvez 29 de agosto de 1949, faz agora 70 anos, seja a melhor opção, afinal nesse dia a União Soviética fez explodir a sua primeira bomba atómica e o monopólio da arma pelos Estados Unidos desapareceu. Sim, foi o teste em Semipalatinsk que estabeleceu o tal equilíbrio do terror, primeiro atómico e depois nuclear, que obrigou as duas superpotências a desistirem de uma Guerra Quente.