Coreia do Sul avança com construção de dois reatores nucleares

Na campanha eleitoral, o Presidente sul-coreano, Moon Jae-in tinha prometido cancelar a construção das duas unidades, mas recuou após chegar ao poder

O Governo da Coreia do Sul anunciou esta sexta-feira que vai avançar com a construção de dois reatores nucleares, depois de uma comissão estatal ter recomendado que o projeto fosse mantido.

A comissão, que emitiu a recomendação esta manhã, estabeleceu que cerca de 60% dos sul-coreanos apoia a conclusão e funcionamento dos reatores 5 e 6 da central de Kori, perto da cidade industrial de Ulsan.

Na campanha eleitoral, o Presidente sul-coreano, Moon Jae-in, tinha prometido cancelar a construção das duas unidades, mas recuou após chegar ao poder, em maio, perante o grande debate existente em torno das necessidades energéticas da quarta economia da Ásia.

Um terço da eletricidade procede das centrais nucleares no país asiático, que carece de recursos energéticos próprios e regista habitualmente cortes de fornecimento no verão.

Moon, que prometeu impulsionar as energias limpas, decidiu em julho estabelecer uma comissão para conhecer a opinião dos sul-coreanos sobre o assunto.

As obras nos reatores 5 e 6 de Kori, com um investimento inicial de 1,6 biliões de wons (cerca de 1.194 milhões de euros), deverão ser retomadas na próxima semana.

O porta-voz do Governo sul-coreano, Park Soo-hyun, disse num comunicado que apesar de a recomendação da comissão afetar o plano da política energética, a postura da administração Moon a respeito da progressiva redução da dependência nuclear vai manter-se.

Assim, o Governo insistiu que vai apostar em esgotar a vida útil das centrais que ainda operam e não vai autorizar a construção de novos reatores no país.

Exclusivos