Demonstração de força: Kim lança rockets sobre o mar do Japão

Em tempos de impasse nas conversações entre Kim Jong-un e Donald Trump, Pyongyang volta a exibir as suas armas. Desta vez, lança-rockets. Presidente dos EUA diz acreditar em acordo com o seu homólogo norte-coreano

A Coreia do Norte anunciou que procedeu no sábado a vários disparos de lança-rockets e armas táticas teleguiadas sobre o mar do Japão. Os testes, que segundo a KCNA, a agência noticiosa estatal, foram supervisionados e comandados pelo próprio líder do país, Kim Jong-un, foram formalmente repudiados pela Coreia do Sul, na que foi a sua reação mais veemente dos últimos tempos a testes deste tipo por parte da Coreia do Norte.

Os disparos estão a ser encarados por observadores internacionais como pressão sobre Washington, para que alivie as sanções económicas. Os Estados Unidos insistem em mantê-las face ao impasse das negociações encetadas pelos líderes dos dois países com vista à desnuclearização da Coreia do Norte.

Como já é seu hábito, Donald Trump, reagiu através do Twitter, dizendo acreditar que Kim Jong-un "não fará nada que possa pôr em risco" o potencial económico do seu país, ou um acordo com os Estados Unidos, o qual, afirma, "vai acontecer".

"O objetivo destes exercícios consistiu em inspecionar as capacidades operacionais e a precisão do disparo de lança-foguetes múltiplos de grande calibre e de longo alcance e ainda armas táticas dirigidas", indicou este domingo a KCNA.

Seul reagiu prontamente, instando Pyongyang "a pôr fim a ações que ativam a tensão", e congratulando-se com a reação do presidente dos Estados Unidos.

Em fevereiro, os presidentes da Coreia da Norte e dos Estados Unidos da América estiveram reunidos em Hanoi, mas não houve acordo entre os dois líderes. Donald Trump não aceitou o que considerou um ser mau acordo, aquele que estava em cima da mesa.

Este sábado, segundo a agência estatal KCNA, Kim Jog-un, no comando dos testes do armamento, afirmou aos militares que deverão ter sempre em mente "a verdade férrea de que a paz genuína e a segurança só são garantidas por uma força poderosa".

Os rockets de curto alcance foram disparados a distâncias de 70 e 200 quilómetros, despenhando-se depois no mar.

Ler mais

Exclusivos