Japão "preparado" para ameaça de bomba de hidrogénio

Coreia do Norte ameaça lançar bomba para o oceano Pacífico, em resposta ao discurso de Donald Trump

O ministro porta-voz do Executivo japonês, Yoshihide Suga, assegurou que o Japão "está preparado para esta situação", já que as autoridades estão "a vigiar com cautela" e classificou de "inaceitável" a ameaça do regime norte-coreano.

"O Japão fará todos os esforços necessários para proteger a segurança do povo japonês", disse, em conferência de imprensa.

O ministro dos Negócios Estrangeiros norte-coreano, Ri Yong-ho, disse que o país poderia lançar, como teste, uma bomba de hidrogénio para o Pacífico, como parte da "resposta ao mais alto nível" com que o líder Kim Jong-un alertou os Estados Unidos.

"Pode tratar-se da mais poderosa detonação de uma bomba H no Pacífico", disse Ri aos meios de comunicação sul-coreanos no hotel em Nova Iorque, onde se encontra para assistir à assembleia-geral da ONU.

Ri respondeu deste modo quando questionado sobre a mensagem de Kim, que avisou o chefe de Estado norte-americano de que pagará caro o "excêntrico" discurso na ONU, em que Trump ameaçou destruir totalmente a Coreia do Norte.

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".