Pyongyang prepara plataforma para testemunhas do desmantelamento de base

Pyongyang estará a preparar uma plataforma onde os observadores poderão acompanhar em direto as manobras de desmantelamento do centro de testes nucleares

A Coreia do Norte está a instalar uma plataforma para que os observadores possam acompanhar o desmantelamento público do centro de testes nucleares.

Segundo a página online 38North, especializada em Coreia do Norte, as imagens de satélite da base nuclear Punggye-ri revelam a construção do que parece ser "uma plataforma de observação" para que se possa assistir ao desmantelamento das portas norte e oeste do centro.

Os especialistas, que assinalaram há dias que o desmantelamento do centro de testes nucleares está "muito avançado", confirmam agora os preparativos para a visita dos observadores e jornalistas estrangeiros (de Estados Unidos, China, Reino Unido, Rússia e Coreia do Sul) que vão ser testemunhas do encerramento definitivo da base, entre 23 e 25 de maio.

A Coreia do Norte anunciou que o fecho da base Punggye-ri passará pelo desmantelamento de túneis, recorrendo a explosões, pelo bloqueio das entradas e pela eliminação de todos os postos de vigia e instalações de observação e investigação.

A três semanas daquela que, se acontecer, será a primeira cimeira entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte, o regime de Pyongyang qualificou o desmantelamento "voluntário" da base como um passo "muito significativo e importante", segundo a página online oficial DPRK Today.

O anúncio do fecho da base foi feito durante a cimeira entre as duas Coreias, a 27 de abril, tendo Pyongyang assumido o compromisso de caminhar para a "total desnuclearização" da península.

A Coreia do Norte realizou seis testes nucleares subterrâneos em Punggye-ri, tendo o último, em setembro do ano passado, sido o mais potente.

Muitos analistas duvidam das promessas norte-coreanas, até porque há precedentes: em 2008, Pyongyang derrubou uma parte do centro de reprocessamento de urânio mas continuou a desenvolver o seu programa nuclear.

Ler mais

Premium

DN Life

DN Life. «Não se trata o cancro ou as bactérias só com a mente. Eles estão a borrifar-se para o placebo»

O efeito placebo continua a gerar discussão entre a comunidade científica e médica. Um novo estudo sugere que há traços de personalidade mais suscetíveis de reagir com sucesso ao referido efeito. O reumatologista José António Pereira da Silva discorda da necessidade de definir personalidades favoráveis ao placebo e vai mais longe ao afirmar que "não há qualquer hipótese ética de usar o efeito placebo abertamente".