Como dois discursos criticam Trump sem falar dele

Barack Obama e George W. Bush foram os interlocutores. Em duas circunstâncias diferentes, os dois ex-presidentes, um democrata e outro republicano, lançam farpas à política de divisão e ao preconceito

Poucas horas separaram os discursos de dois ex-presidentes norte-americanos, esta quinta-feira, que estão a ser analisados como críticas veladas a Donald Trump. Em nenhum dos dois existiram referências ao atual presidente dos Estados Unidos, mas este parece ser o alvo tanto do democrata Barack Obama como do republicano George W. Bush.

Barack Obama voltou aos comícios para pedir aos eleitores que rejeitem a crescente "política de divisão que diz estar a corroer a democracia norte-americana. Tanto em Newark (Nova Jérsia), como em Richmond (Virgínia) o anterior presidente dos Estados Unidos considerou que os eleitores podem enviar uma poderosa mensagem sobre o tipo de política que querem votando nos democratas nas eleições para eleger os governadores destes dois estados a 7 de novembro.

"O que não podemos ter é a velha política de divisão que vimos tantas vezes antes e que remonta a séculos", defendeu Obama em Newark, enquanto a multidão gritava "Mais quatro anos". Já em Richmond, o democrata considerou que a política moderna não reflete os valores básicos de inclusão e estão a afastar as pessoas.

"Há gente que está deliberadamente a tentar irritar as outras pessoas, a demonizar quem tem ideias diferentes, a arruinar a base porque isso lhes dá uma vantagem a curto prazo. Às vezes, isso é frustrante", comentou.

Também George W. Bush, republicano, fez um discurso que está a ser encarado como uma crítica a Donald Trump. O antigo presidente falou de nacionalismo, de divisões raciais, da intervenção da Rússia nas eleições... temas que têm estado em destaque desde que o colega republicano Trump chegou à Casa Branca.

"O bullying e o preconceito na nossa vida pública estabelecem um tom nacional, dão permissão para a crueldade e a intolerância e comprometem a educação moral das crianças. A única forma de transmitir valores civis é viver com eles", defendeu. Bush realçou ainda o papel dos imigrantes e do comércio internacional, duas áreas políticas que Trump tem criticado.

"Vimos um nacionalismo distorcido em nativismo, esqueceu-se o dinamismo que a imigração sempre trouxe à América", lembrou. "Assistimos a uma queda da confiança nos valores do mercado livre e do comércio internacional esquecendo que o conflito, instabilidade e pobreza seguem-se ao protecionismo", acrescentou.

Questionado se o discurso visava a política de Donald Trump, um assessor de Bush disse que este versara sobre os temas que o ex-presidente abordava há anos.

Relacionadas

Últimas notícias

Brand Story

Tui

Mais popular

  • no dn.pt
  • Mundo
Pub
Pub