Comissão Europeia "chocada" com testes em humanos e macacos

Margaritis Schinas, porta-voz do executivo comunitário, instou as autoridades alemãs a resolver o assunto

A Comissão Europeia declarou-se hoje "chocada" com o recurso a testes de emissões poluentes em macacos ou humanos na indústria automóvel alemã, instando as autoridades nacionais a responsabilizarem-se pelo tema.

"Estamos chocados com essas notícias, como todo o mundo. Tomamos nota do objetivo das autoridades alemãs de investigar o assunto e esperamos que o façam", disse o porta-voz do executivo comunitário, na conferência de imprensa diária da instituição.

Margaritis Schinas instou as autoridades alemãs a tratar do tema, considerando que este requer "uma ação urgente".

A comissária europeia da Indústria, Elzbieta Bienkowska, considerou, na rede social Twitter, que estes testes são "imorais e inaceitáveis para uma empresa europeia do século XXI".

De acordo com notícias publicadas esta segunda-feira por meios de comunicação alemães, a Associação Europeia de Estudos sobre a Saúde e o Meio Ambiente nos Transportes, um instituto financiado por Volkswagen, BMW e Daimler (fabricante de Mercedes-Benz), submeteu grupos de humanos e macacos a testes de emissões de motores diesel.

A primeira 'vítima' da polémica foi o diretor geral da Volkswagen, Thomas Steg, que abandonou temporariamente o cargo.

Em comunicado, o grupo automobilístico alemão informou que a direção do consórcio, hoje reunida, "aceitou a petição de cesse temporário" de Steg, até que "se esclareça completamente o ocorrido".

"O senhor Steg declarou que assume toda a responsabilidade, e isso é algo que eu respeito", afirmou o presidente da Volkswagen, Matthias Müller, segundo a nota de imprensa.

Ler mais

Exclusivos