Guterres pede mais ambição na luta contra as mudanças climáticas

O secretário-geral da ONU refere que são necessários cortes significativos nas emissões de gases de estufa

António Guterres, pediu esta quarta-feira, na abertura do segmento de alto nível da Conferência das Nações Unidas sobre alterações climáticas (COP23), mais ambição, mais liderança e mais parcerias na luta contra o aquecimento global.

"O nosso dever, uns para com os outros e para as gerações futuras, é aumentar a nossa ambição", disse o secretário-geral da ONU, numa cerimónia em que participavam vários chefes de estado, como a chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente francês, Emmanuel Macron.

"Precisamos de fazer mais nestas cinco áreas de ação: emissões, adaptação, finanças, parcerias e liderança", disse António Guterres, sublinhando que as alterações climáticas são o "desafio que define" a nossa época e que um aumento de ambição é um "dever" de todos.

O líder da ONU lembrou que o mundo tem cinco anos para implementar medidas que tornem possível conter o aumento da temperatura do planeta nos 1,5 graus celsius acima dos valores médios da época pré-industrial, mas avisou os líderes presentes que esse objetivo exige cortes significativos nas emissões de gases de estufa.

Guterres pediu aos líderes "que mostrem coragem a combater os interesses instalados" e mostrou dados sobre a China e a Índia que mostram os países a ultrapassar os seus objetivos de redução de emissão de gases com efeito de estufa, registando ao mesmo tempo altos níveis de crescimento económico.

A COP23, que começou a 6 de novembro, acontece um ano após a entrada em vigor do Acordo de Paris.

Depois da entrada da Síria no acordo no início do mês, os EUA são agora o único país do mundo que pretende não aderir ao documento.

Ler mais

Exclusivos