CIA acusa Wikileaks de ajudar inimigos da América

Agência de espionagem reagiu oficialmente à publicação de informações sobre programas de espionagem em telemóveis e outros aparelhos de comunicações

A Agência Central de Inteligência (CIA) dos EUA acusou a organização WikiLeaks de colocar em perigo os cidadãos do país, ajudar seus inimigos e dificultar a luta de Washington contra as ameaças terroristas, após as revelações feitas pelo site sobre as ferramentas de espionagem da agência.

Segundo a AFP, um porta-voz da CIA não quis confirmar a autenticidade dos materiais publicados pela WikiLeaks. No entanto, "tais divulgações não só comprometem o pessoal e as operações dos EUA, mas também equipam os adversários com ferramentas e informações para nos prejudicar", disse a porta-voz da CIA, Heather Horniak.

A rede de divulgação de informações secretas Wikileaks divulgou hoje a primeira parte de uma nova série de novos documentos confidenciais, desta vez denunciando as técnicas da CIA para piratear equipamentos informáticos e de comunicações.

Os milhares de documentos mostram as tentativas e as conversas dentro da CIA e com elementos externos sobre as tentativas de utilizar aparelhos de uso diários, como os telemóveis inteligentes iPhone da Apple, o sistema Android da Google e o Windows da Microsoft, e as 'Smart TV' da Samsung.

A Wkileaks, num longo comunicado sobre esta divulgação, explica que "recentemente" a CIA perdeu o controlo de um enorme conjunto de ferramentas de 'hackng' [introdução nos sistemas informáticos alheios] e de documentos associados a essa atividade.

"O arquivo parece ter circulado entre antigos hackers do Governo e empreiteiros de forma não autorizada" e um deles "deu à Wikileaks acesso a partes do arquivo", lê-se no comunicado citado pela AP.

Ler mais

Exclusivos