Chuvas torrenciais provocam pelo menos dez mortos na Grécia

Automóveis arrastados pelas águas, edifícios inundados, ruas convertidas em lamaçais, pessoas refugiadas nos telhados: o cenário após tempestade

As chuvas torrenciais que hoje afetaram diversos municípios da região da Ática, a oeste de Atenas, provocaram pelo menos dez mortos, 13 feridos e inúmeros danos materiais, refere um novo balanço das autoridades gregas.

Automóveis arrastados pelas correntes de água, edifícios inundados, ruas convertidas em lamaçais, pessoas refugiadas nos telhados de edifícios foram algumas das imagens divulgadas e que confirmaram a dimensão da catástrofe.

Em alguns pontos, a água no interior e no exterior dos edifícios chegou a atingir os dois metros de altura, refere a agência noticiosa Efe.

O corpo de bombeiros confirmou a morte de dez pessoas, apesar de se recear que o número de vítimas possa aumentar, e quando permanecem vários desaparecidos.

Oito das dez vítimas foram encontradas na localidade de Mandra, a mais afetada e situada a cerca de 20 quilómetros de Atenas, algumas no interior das suas casas e outras nos pátios.

Em poucos minutos, as ruas de Mandra converteram-se em torrentes, devido às chuvas e ao deslizamento de terra e de rochas das montanhas circundantes.

As autoridades encontraram os corpos de dois homens a flutuar no mar, junto a Eleusis, 18 quilómetros a oeste de Atenas, e duas outras vítimas junto a uma gasolineira que ficou isolada devido às chuvas.

Pelo menos 13 pessoas ficaram feridas e foram internadas em diversos hospitais, uma delas em estado muito grave.

O primeiro-ministro, Alexis Tsipras, convocou para esta tarde diversos ministros para uma reunião em que será feito o primeiro balanço dos prejuízos e analisadas as prioridades imediatas.

Nos três municípios afetados foi decretado o estado de emergência.

A catástrofe nesta zona dos arredores da capital da Grécia ocorreu um dia após ter sido declarado o estado de emergência na ilha de Simi, no arquipélago do Dodecaneso, devido a graves inundações que deixaram numerosos estragos, mas não causaram vítimas.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.