China concluiu primeira linha ferroviária de alta velocidade na Mongólia Interior

Comboios começam a circular no final de 2019. Viagens entre Pequim e Hohhot serão encurtadas para menos de três horas

A construção da primeira linha ferroviária de alta velocidade na Região Autónoma da Mongólia Interior, no norte da China, foi concluída na terça-feira, de acordo com o construtor, avançou esta quarta-feira a agência de notícias Xinhua.

Com uma velocidade projetada de 250 quilómetros por hora, a ferrovia com uma extensão de 287 quilómetros passa pela capital regional de Hohhot, Ulanqab e Zhangjiakou, na província vizinha de Hebei.

A ferrovia deverá iniciar as operações no final de 2019, juntamente com a ferrovia Beijing-Zhangjiakou, que está ainda em construção.

As duas linhas vão reduzir o tempo de viagem entre Pequim e Hohhot das atuais nove horas para menos de três horas.

Exclusivos

Premium

Leonídio Paulo Ferreira

Nuclear: quem tem, quem deixou de ter e quem quer

Guerrilha comunista na Grécia, bloqueio soviético de Berlim Ocidental ou Guerra da Coreia são alguns dos acontecimentos possíveis para datar o início da Guerra Fria, que alguns até fazem remontar à partilha da Europa em esferas de influência por Churchill e Estaline ainda o nazismo não tinha sido derrotado. Mas talvez 29 de agosto de 1949, faz agora 70 anos, seja a melhor opção, afinal nesse dia a União Soviética fez explodir a sua primeira bomba atómica e o monopólio da arma pelos Estados Unidos desapareceu. Sim, foi o teste em Semipalatinsk que estabeleceu o tal equilíbrio do terror, primeiro atómico e depois nuclear, que obrigou as duas superpotências a desistirem de uma Guerra Quente.