Chefe da polícia de Colónia demitido após vaga de ataques sexuais do ano novo

Mais de 100 mulheres relataram ter sido atacadas sexualmente e assaltadas na noite de passagem de ano

O chefe da polícia de Colónia foi demitido, de acordo com a imprensa alemã, após uma vaga de ataques sexuais nessa cidade na noite de ano novo. Wolfgang Albers foi criticado pela alegada inaptidão da polícia perante as mais de 100 denúncias de ataques sexuais e assaltos. Espera-se que a demissão seja anunciada oficialmente esta sexta-feira.

De acordo com um relatório policial divulgado pelo jornal britânico Bild, as mulheres que queriam denunciar ataques sexuais em Colónia tiveram que passar por "um sofrimento indescritível" para chegar à esquadra policial e apresentar a sua queixa.

Mais de 100 mulheres denunciaram ter sido atacadas sexualmente por grupos de homens perto da estação de comboios de Colónia na noite de passagem de ano, incluindo duas que foram violadas.

O ministério do Interior da Alemanha anunciou esta sexta-feira que 32 pessoas foram identificadas como suspeitos dos ataques sexuais, incluindo 18 pessoas que são requerentes de asilo na Alemanha.

A polícia identificou 31 indivíduos pelo nome, os quais foram interrogados. Desses, nove eram argelinos, oito marroquinos, cinco iranianos, quatro sírios, dois alemães, um iraquiano, um sérvio e um norte-americano.

Também hoje, o vice-chanceler alemão e presidente do Partido Social Democrata (SPD), Sigmar Gabriel, afirmou que apoia a expulsão dos refugiados que sejam condenados, em declarações publicadas no diário Bild. "Agora estamos a estudar todas as opções legais para o regresso ao seu país de origem dos requerentes de asilo que cometem crimes", disse Sigmar Gabriel, que também é ministro da Economia e Energia na coligação.

Após os ataques, a autarca de Colónia, Henriette Reker, causou indignação a nível internacional por ter sugerido que as mulheres se mantenham a "um braço de distância" de homens desconhecidos em espaços públicos para evitarem ser atacadas sexualmente.

Com Lusa

Ler mais

Exclusivos