Cenas de sexo de atriz indiana transformadas em vídeo pornográfico

Imagens fazem parte da série "Sacred Games", a primeira série original Netflix a ser filmada na Índia e que conta com vários atores de Bollywood.

Rajshri Deshpande, uma atriz que participa na primeira produção da Netflix na Índia, viu as cenas de sexo da série serem transformadas num vídeo pornográfico que se tornou viral nas redes sociais. Deshpande, que interpreta a mulher de um gangster na história, diz que se sentiu "enojada" ao saber que que as imagens tinham sido retiradas do contexto e que agora, na internet, era apelidada de "estrela porno".

O vídeo, com a duração de 30 segundos, foi retirado de um episódio de Sacred Games e mostra a atriz a ter sexo com o ator que na série desempenha o papel de seu marido. A atriz condenou a forma como as imagens foram usadas e alertou que é preciso ter muito cuidado ao partilhar qualquer tipo de material fora do seu contexto.

Nas redes sociais, Rajshri Deshpande foi chamada de "estrela porno" e houve quem lhe perguntasse se "não tinha vergonha na cara". "Porque razão deveria ter vergonha? Tenho fé no meu caráter e na importância dessa cena para a história", disse a atriz, citada pela BBC. "A minha intenção era boa. Não fiz nada de errado", acrescentou.

A série inclui algumas cenas íntimas, entre elas um "nu sensual". "Foi complicado para mim abrir a blusa, mas fi-lo. Nunca imaginei que as imagens dessa cena iriam começar a circular no WhatsApp", disse a atriz.

O vídeo foi partilhado no WhatsApp e no YouTube e tornou-se rapidamente viral. Por isso, Deshpande pediu às pessoas para serem mais responsáveis nas redes sociais. "A tecnologia é uma arma, pode ser usada para destruir alguém ou para a salvar."

Sacred Games: primeira série Netflix made in India

A série estreou no início de mês e conta no seu elenco com vários atores e atrizes de Bollywood. Faz parte da estratégia da Netflix em atrair consumidores no segundo país mais populoso do mundo.

A primeira produção indiana da plataforma de streaming é baseada no romance do escritor Vikram Chandra e produzida em parceria com a Phantom Films. A obra de Chandra foi adaptada por Smita Singh, Vasant Nath e Varun Grover e todos os oito episódios, que têm uma hora de duração, foram realizados por Anurag Kashyap e Vikramaditya Motwane.

O enredo conta a história de um polícia, divorciado recentemente, interpretado pelo ator Saif Ali Khan, que tenta impedir um ataque terrorista em Bombaim.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

João Gobern

Tirar a nódoa

São poucas as "fugas", poucos os desvios à honestidade intelectual que irritem mais do que a apropriação do alheio em conluio com a apresentação do mesmo com outra "assinatura". É vulgarmente referido como plágio e, em muitos casos, serve para disfarçar a preguiça, para fintar a falta de inspiração (ou "bloqueio", se preferirem), para funcionar como via rápida para um destino em que parece não importar o património alheio. No meio jornalístico, tive a sorte de me deparar com poucos casos dessa prática repulsiva - e alguns deles até apresentavam atenuantes profundas. Mas também tive o azar de me cruzar, por alguns meses, tempo ainda assim demasiado, com um diretor que tinha amealhado créditos ao publicar como sua uma tese universitária, revertido para (longo) artigo de jornal. A tese e a história "passaram", o diretor foi ficando. Até hoje, porque muitos desconhecem essa nódoa e outros preferiram olhar para o lado enquanto o promoviam.