Catalunha inaugura "voz própria" em Portugal

Raül Romeva esteve em Lisboa na abertura da delegação do governo catalão, na Avenida da Liberdade

"Os catalães estão determinados em falar ao mundo com uma voz própria para contribuir para os debates globais. Hoje, uma voz própria chega também a Portugal. Façamo-la ouvir-se e ponhamo-la ao serviço das pessoas", disse o conselheiro de Assuntos Exteriores, Relações Institucionais e Transparência da Catalunha, Raül Romeva, que esteve na abertura da nova delegação do governo catalão em Lisboa.

"A vontade da Generalitat é falar com todo o mundo e entender-se com todo o mundo e é com essa intenção que abrimos esta delegação", acrescentou Romeva, dizendo que a relação com a embaixada de Espanha em Lisboa e o governo português é "cordialíssima".

"Catalunha quer ser um estado, não é um segredo, e tem que ter uma presença internacional dinâmica, ativa, aberta que é o que a Catalunha é e quer ser", referiu.

A delegação em Lisboa é a oitava que a Generalitat abre (há sete em capitais europeias e uma em Washington), sendo liderada pelo ex-jornalista Ramon Font, que foi durante muitos anos correspondente de vários media espanhóis e catalães em Portugal.

"Hoje é um grande dia e a história ditará se foi mais do que isso", indicou Ramon Font no encontro com a imprensa, dizendo que nunca antes tinha sido possível abrir uma delegação em Lisboa.

"Estamos na Avenida da Liberdade e com a liberdade para exercer um mandato estatutário", acrescentou, lembrando que o estatuto da Catalunha dá à Generalitat "um mandato de projetar a Catalunha no exterior", dando-lhe "a capacidade de abrir espaços como estes".

Romeva lembrou que Portugal é o país onde há mais empresas catalãs e o quarto da Europa em número de exportações catalãs. "É hora de tornar ainda mais sólidas as relações de colaboração da Generalitat com as instituições e empresas do país [Portugal]. É hora de crescer e de o fazer em conjunto".

"Num momento de mudança e de progresso para a Catalunha, no momento em que aspiramos a tornar-nos um país, com todas as ferramentas para garantir um estado mais justo, próspero e mais livre, projetos como este fazem-nos mais fortes e mais úteis para a cidadania", indicou Romeva.

A abertura do espaço e a visita de Romeva ocorre a menos de uma semana da Diada (11 de setembro, dia nacional), que tem sido marcada por manifestações a favor da independência desta comunidade autonómica. Desde as eleições regionais de 27 de setembro de 2015, ganhas pelos independentistas do Junts pel Sí, que o governo catalão tem em marcha um projeto independentista com o apoio da Candidatura de Unidade Popular (antissistema).

Exclusivos