Casal que matou empregada doméstica condenado à morte

Corpo de Joanna Demafelis foi encontrado num frigorífico

Um casal foi condenado à pena de morte no Kuwait, à revelia, pelo homicídio de uma empregada doméstica das Filipinas. O corpo de Joanna Demafelis foi colocado num frigorífico e deixado no apartamento que o casal abandonou. O cadáver foi encontrado um ano após a morte da filipina.

O homem e a mulher, de nacionalidade libanesa e síria, respetivamente, foram encontrados na Síria, no decorrer de uma investigação internacional levada a cabo pela Interpol. Nader Essam Assaf foi entregue às autoridades no Líbano e o país está agora a considerar o pedido de extradição para o Kuwait. A mulher está detida em Damasco.

A morte de Demafelis, resultado de agressões severas, originou um incidente diplomático entre os dois países, com as Filipinas a proibirem os seus cidadãos de trabalharem no Kuwait.

Depois da morte de Demafelis e tendo em conta os relatos de abusos sexual, mental e físico que supostamente levaram a várias mortes e a ferimentos entre as trabalhadoras imigrantes, as Filipinas ajudaram mais de 1000 "trabalhadores filipinos estrangeiros em dificuldades" a regressarem ao país.

Segundo a BBC, em muitos países do Golfo, os imigrantes obtêm vistos no contexto de um polémico sistema de patrocínio conhecido como "kafala", que vincula os trabalhadores aos seus empregadores durante toda a estadia. Muitos dos que são abrangidos por este sistema são empregadas domésticas.

Exclusivos