Caos na entrega do pernil de porco. Mulher grávida morre baleada por polícia

Incidentes a oeste de Caracas

Uma mulher grávida foi morta a tiro durante incidentes com a polícia durante a entrega à população de pernil de porco para o natal, numa zona a oeste de Caracas, noticia este domingo a agência Efe.

O incidente ficou registado num relatório policial a que a referida agência teve acesso. No documento, é descrito que um grupo de pessoas que esperava pelos "benefícios sociais decretados pelo governo (pernil)" se tornou "violento", ao que um grupo de efetivos da Guarda Nacional Bolivariana foi enviada para o local.

A dada altura, segundo o documento, citado pelo jornal ABC, "um dos agentes, fazendo uso indevido da arma regulamentar, efetuou disparos sobre a multidão", atingindo a mulher, que ainda "foi levada para o hospital, onde chegou sem sinais de vida.

Os protestos na Venezuela têm-se sucedido porque o pernil de porco - prato tradicional desta época no país - que tinha sido prometido por Nicolás Maduro não chegou para toda a gente.

Maduro, que chegou a acusar Portugal de ter sabotado as entregas, virou depois as culpas para a Colômbia, afirmando que estavam 2200 toneladas de pernil retidas neste país.

Já esta madrugada, a Colômbia enviou 50 toneladas para a Venezuela, justificando o atraso em todo o processo com a falta de pagamento e o incumprimento de algumas formalidades.

Ler mais

Exclusivos