Canadá. Trudeau remodela e cria Ministério das Fronteiras

Pressionado pelo avanço dos conservadores nas sondagens, primeiro-ministro canadiano faz grande remodelação. Onze mudanças num governo que passa agora a ter 34 ministros.

Um ministro responsável pelos pedidos de asilo e outro pela diversificação do comércio internacional são as grandes novidades da remodelação governamental levada a cabo por Justin Trudeau, a terceira desde a sua eleição em outubro de 2015.

É a resposta do político liberal às críticas da oposição e à subida nas sondagens dos conservadores, que estão agora a menos de três pontos de diferença, de acordo com a que foi divulgada mais recentemente, pela Nanos Research.

As novas caras do governo foram apresentadas no Twitter de Justin Trudeau

Ex-comandante da polícia tutela fronteiras

A integridade das fronteiras é agora "uma prioridade". Desde janeiro de 2017 mais de 30 mil pessoas atravessaram a fronteira dos EUA com o Canadá de forma ilegal com o objetivo de pedir estatuto de refugiado.

Segundo a Reuters, muitos explicaram que o fazem com receio das políticas mais duras da administração Trump.

Os partidos da oposição, em particular os conservadores e o NDP, têm vindo a trazer o tema para a agenda política, tendo exigido um estudo de emergência sobre a resposta do governo à entrada de imigrantes oriundos dos EUA.

O novo ministério, intitulado da Segurança das Fronteiras e da Redução do Crime Organizado, é dirigido pelo antigo comandante da polícia de Toronto, Bill Blair.
Blair foi o responsável pelo dossier da legalização da canábis, que vai entrar em vigor em outubro.

O Ministério do Comércio Internacional muda de mãos e de nome: é agora da Diversificação do Comércio Internacional e tem como ministro Jim Carr.
É também renovado o Ministério das Pequenas Empresas, que antes tinha também a pasta do Turismo e que está agora virado para a Promoção das Exportações. A nova responsável é Mary Ng, canadiana nascida em Hong Kong.

"Precisamos garantir que não dependemos tanto dos Estados Unidos. Promover pequenas empresas para exportar mais e garantir que estamos a diversificar o nosso comércio é uma enorme responsabilidade para este governo", afirmou Trudeau em conferência de imprensa.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".