Cada vez mais cães polícia morrem nos EUA por descuido das autoridades

Muitos cães polícia morrem devido ao calor e humidade dos veículos em que são transportados

Após a morte de um cão polícia no cerco do apartamento onde se escondiam membros do grupo terrorista Estado Islâmico, a cadela Diesel, o jornal norte-americano Washington Post voltou-se para a segurança dos cães das forças policiais dos Estados Unidos. Os jornalistas descobriram, ao falar com um perito, que muitos cães morrem por acidente, devido ao calor e humidade a que são muitas vezes expostos quando estão a ser transportados.

O Washington Post recorreu ao Officer Down Memorial Page, um site dedicado a contabilizar e identificar os agentes das forças policiais que morrem em serviço, e que inclui os agentes caninos. Um dos responsáveis pelo ODMP era Steve Weiss, tenente da polícia de Nova Iorque, que transmitiu ao jornal que as mortes devido ao calor "acontecem a um ritmo alarmante".

Até agora em 2015, morreram 26 cães polícia nos Estados Unidos, entre os quais 11 morreram devido ao calor e humidade. Dois animais morreram devido ao excesso de calor que se gerou quando o ar condicionado falhou no veículo onde eram transportados, e outros dois morreram quando um agente da polícia se esqueceu deles dentro do carro.

"Fiquei surpreendido com a frequência a que isto se verifica", disse Steve Weiss ao Washington Post. "Em muitos estados, as leis que envolvem a morte de animais da polícia não são muito rígidas. Cada estado é diferente".

Weiss explicou ainda que veículos para o transporte de cães polícia estão agora a receber sistemas eletrónicos para regular o calor e a humidade. O mesmo sistema é capaz de alertar remotamente os agentes policiais caso haja níveis perigosos de calor no veículo, podendo estes abrir as portas ou a mala do carro automaticamente para que os cães possam fugir.

Ler mais

Exclusivos