Irlanda acolhe favoravelmente primeiro esboço de acordo da UE

O texto apresentado hoje em Bruxelas mantém a Irlanda do Norte integrada na União Aduaneira da UE, criando uma fronteira virtual no mar da Irlanda com a Grã-Bretanha

A Irlanda acolheu hoje favoravelmente o primeiro esboço de acordo da União Europeia (UE) para o Brexit e aguarda que o Reino Unido forneça mais detalhes sobre a fronteira com a Irlanda do Norte.

O Governo irlandês disse hoje que o esboço da UE contém "a necessária disposição legal para implementar o mecanismo" que evitaria uma fronteira fechada entre o território do Reino Unido, a Irlanda do Norte (Ulster), e o da Irlanda (Eire), estado membro da UE.

O texto apresentado hoje em Bruxelas mantém a Irlanda do Norte integrada na União Aduaneira da UE, criando uma fronteira virtual no mar da Irlanda com a Grã-Bretanha, mas a proposta deverá ser efetiva se não for encontrada outra solução para a fronteira.

Em dezembro, o Reino Unido e a UE concordaram que deve permanecer uma fronteira invisível entre Irlanda e Irlanda do Norte, que deverá manter-se aberta depois do Brexit, em 2019, mas ainda não ficou claro como tal acontecerá na prática.

"Estamos ansiosos por mais detalhes", vincou o Governo da Irlanda, na expetativa de revelações da primeiro-ministro britânica, Theresa May, na sexta-feira.

May disse já que uma proposta da UE para a fronteira irlandesa depois do Brexit "comprometeria a integridade constitucional do Reino Unido", o que, sublinhou, seria inaceitável para a Grã-Bretanha.

No entanto, a governante afirmou que trabalhará com a UE na proposta e garantiu que está "absolutamente empenhada" para evitar uma fronteira fechada.

O primeiro esboço de acordo da UE para o Brexit foi revelado pelo negociador Michel Barnier, que alertou para a necessidade de o processo com vista à saída do reino Unido da UE, no próximo ano, ter de ser mais rápido.

"Se queremos ter sucesso nestas negociações, e eu quero ter sucesso, temos de acelerar", disse Barnier, na apresentação da proposta, que reúne 120 páginas e é sujeita a negociação.

Antes da saída do Reino Unido da UE, à meia-noite de 29 de março de 2019, terá de estar concluído um acordo final.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.