Brexit é "um fracasso e uma tragédia"

Presidente da Comissão Europeia disse que negociações do Brexit devem ser "amistosas" e "justas", mas Londres não deve esperar que a UE seja "ingénua"

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, disse hoje, numa entrevista à BBC, que o 'Brexit' é "um fracasso e uma tragédia".

Bruxelas, disse, quer que as negociações para a saída do Reino Unido da União Europeia (UE) sejam "amistosas" e "justas", mas Londres não deve esperar que a UE seja "ingénua".

A primeira-ministra britânica, Theresa May, prevê notificar formalmente a UE da intenção de sair através de uma carta ao Conselho Europeu, o que deverá ocorrer na próxima quarta-feira, ativando o artigo 50.º do Tratado de Lisboa, que dá início às negociações formais de saída.

Questionado sobre que sentimento lhe provoca a decisão tomada pelos britânicos em referendo, o luxemburguês respondeu que lhe parece "um fracasso e uma tragédia".

"[A saída da UE] vai entristecer-me, como me entristeceu a votação no referendo. Para mim é uma tragédia" disse.

A saída, explicou, tem um custo e isso não deve ser visto pelos britânicos como "um castigo" ou "uma sanção", mas antes "uma fatura que reflete os compromissos que foram assumidos pelo governo e pelo parlamento britânicos".

A principal preocupação do presidente da Comissão é a proteção do estatuto dos três milhões de cidadãos europeus que residem no Reino Unido e do milhão de britânicos que vive no continente europeu.

"Estou fortemente empenhado em preservar os direitos dos europeus no Reino Unido e dos britânicos na Europa", disse, acrescentando: "Isto não é regatear, é respeitar a dignidade humana".

Ler mais

Exclusivos