Mulher internada atingida por bala perdida no Brasil

As autoridades ainda não descobriram de onde poderá ter surgido o tiro. Mulher atingida está em risco de perder a visão.

Uma mulher de 61 anos, que estava internada num hospital privado no Rio de Janeiro, no Brasil, para ser operada à vesícula, foi atingida a tiro num olho por uma bala perdida, de acordo com a imprensa brasileira.

De acordo com jornal brasileiro Globo, a mulher foi atingida na madrugada de sábado, enquanto dormia, dentro de um dos maiores hospitais de Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro.

Nas proximidades daquele estabelecimento hospitalar fica a comunidade Souza Soares, onde a polícia interveio, alegadamente no seguimento de uma festa. Familiares da vítima citados pelo Globo disseram que a mulher estava internada há 18 dias para fazer exames e depois ser submetida a uma operação à vesícula.

As mesmas fontes informaram que a paciente baleada foi operada após o tiro e está em estado grave, correndo o risco de perder a visão de um olho, mas estável.

Segundo explicaram, a bala entrou por baixo do olho direito, ficou alojada na parte de trás da cabeça e ainda não foi retirada por precaução.

O caso está agora a ser investigado pela polícia brasileira, que vai perceber de onde surgiu o tiro.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.