Bolsonaro está melhor e já pode voltar a comer

O boletim médico do candidato à presidência do Brasil refere que o paciente regista evolução favorável e não tem sinais de infeção

Jair Bolsonaro, candidato às eleições presidenciais do Brasil pelo Partido Social Liberal, já está sem febre e sem sinais de infeção, segundo o boletim médico divulgado esta terça-feira pelo Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

O político brasileiro, que foi vítima de um atentado na passada sexta-feira durante uma ação de campanha em Minas Gerais, vai voltar a ser alimentado via oral, uma vez que denotou melhoras em relação aos problemas intestinais de que padecia.

"Na sequência da melhoria intestinal, a sonda nasogástrica foi retirada na manhã de hoje. Será reiniciada a alimentação oral de forma gradual conforme a aceitação", refere o boletim clínico.

Através das redes sociais, Bolsonaro agradeceu às pessoas que estiveram na ação de campanha onde foi esfaqueado em Juiz de Fora. "Nada apagará a chama da esperança que presenciamos nos olhos de cada um presente neste grande dia! Obrigado Juiz de Fora! Obrigado Minas Gerais!", escreveu numa publicação em que colocou um vídeo desse evento.

Bolsonaro sublinhou ainda, através do Twitter, a necessidade de haver maior segurança no Brasil e que essa é uma das suas prioridades.

Exclusivos

Premium

Crónica de Televisão

Os índices dos níveis da cadência da normalidade

À medida que o primeiro dia da crise energética se aproximava, várias dúvidas assaltavam o espírito de todos os portugueses. Os canais de notícias continuariam a ter meios para fazer directos em estações de serviço semidesertas? Os circuitos de distribuição de vox pop seriam afectados? A língua portuguesa resistiria ao ataque concertado de dezenas de repórteres exaustos - a misturar metáforas, mutilar lugares-comuns ou a começar cada frase com a palavra "efectivamente"?

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O voluntariado

A voracidade das transformações que as sociedades têm sofrido nos últimos anos exigiu ao legislador que as fosse acompanhando por via de várias alterações profundas à respetiva legislação. Mas há áreas e matérias em que o legislador não o fez e o respetivo enquadramento legal está manifestamente desfasado da realidade atual. Uma dessas áreas é a do voluntariado. A lei publicada em 1998 é a mesma ao longo destes 20 anos, estando assim obsoleta perante a realidade atual.