Bispo italiano ameça Pokemon Go com ação na justiça

Antonio Stagliano diz que o jogo é "diabólico", "um sistema totalitário próximo ao nazismo"

Um bispo italiano ameaçou interpor uma ação legal contra o jogo Pokemon Go, dizendo que este é "diabólico" e transformou os jogadores num exército que empunha 'smartphones', comparando a situação com a série televisiva sobre zombies "Walking Dead".

O prelado, Antonio Stagliano, que foi citado hoje por vários jornais, disse que estava pronto para ir a tribunal para banir esse aplicativo popular para telemóveis.

Antonio Stagliano é bispo na cidade de Noto, na Sicília, sul de Itália.

O jogo de realidade aumentada, que permite aos seus jogadores apanhar monstros virtuais ao usar mapeamento pelo GPS dos seus telemóveis, tornou-se uma extravagância mundial desde o seu lançamento a 06 de julho, mas também provocou uma onda de críticas e controvérsias.

Stagliano já havia atacado o jogo nos últimos dias, declarando-o "um sistema totalitário próximo ao nazismo", acrescentando que está a alienar "milhares e milhares de jovens", tornando-os viciados na caça de monstros.

O bispo é conhecido na imprensa italiana, particularmente por suas interpretações de sucessos de música rock de cantores populares como Noemi e Marco Mengoni.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.