Birmânia expulsa turista por ter tatuagem de Buda na perna

O turista espanhol foi detido e deportado para o país vizinho, a Tailândia

A Birmânia deportou um espanhol para a vizinha Tailândia por o turista ter uma tatuagem de Buda na perna, o que é considerado ofensivo pela cultura budista do país, noticia hoje a agência noticiosa EFE, citando fontes diplomáticas.

O espanhol foi detido na cidade de Bagan, no centro do país, onde há centenas de templos budistas, depois de ter sido denunciado por monges às autoridades.

Em março de 2015, a justiça da Birmânia condenou a dois anos e meio de prisão um neozelandês e dois sócios birmaneses por usarem a imagem de Buda, a que tinham juntado auriculares para promover, através das redes sociais, um local de diversão noturna em Rangun.

O neozelandês saiu em liberdade em janeiro deste ano, após uma amnistia do Governo.

Cerca de 95% da população birmanesa é budista, segundo dados oficiais.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.