Bill Gates avisa que corte de Trump na ajuda externa custaria milhões de vidas

Bill e Melinda Gates

O multimilionário e filantropo Bill Gates, fundador da Microsoft, criticou os cortes significativos que Donald Trump pretende fazer na ajuda externa do país, avisando que ajudar é medida "sábia" e no interesse dos Estados Unidos

"Se a generosidade dos Estados Unidos desaparecer, mesmo um corte de 10% representará cinco milhões de mortes ao longo da próxima década". O alerta foi dado pelo fundador da Microsoft, Bill Gates, num evento destinado a lançar a "carta aberta ao público" da Bill and Melinda Gates Foundation, tendo como direto destinatário o presidente Donald Trump e os planos deste para cortar, em milhares de milhões de dólares, o pacote anual atribuído pelo Congresso norte-americano à ajuda externa.

Já no ano passado, recorda o jornal britânico The Guardian, a Administração Trump fez propostas para cortes significativos na ajuda externa - que representa menos de 1% da despesa norte-americana -, sendo que nessa altura as indicações do presidente foram "maioritariamente ignoradas" pelos congressistas.

No entanto, Gates parece não querer arriscar, deixando o aviso de que esta ajuda não só é determinante para assegurar o bem-estar de muitas populações, nomeadamente em África, como representa um investimento na paz por parte dos Estados Unidos e no interesse dos mesmos: "Estes investimentos, mesmo nessa espécie de registo America First [América Primeiro, o slogan com o qual Trump foi eleito], continuam a ser muito, muito sábios", disse.

Relacionadas

Brand Story

Mais popular

  • no dn.pt
  • Mundo
Pub
Pub