Avião da Ryanair escoltado por caças até ao aeroporto de Stansted

O avião terá divergido devido a um alerta de segurança

Um avião da Ryanair foi hoje escoltado por dois caças da Força Aérea britânica até ao aeroporto de Stansted, em Londres, e aterrou no meio de um grande aparato policial, revelaram os media britânicos.

Segundo o diário The Guardian, o avião tinha saído de Kaunas, na Lituânia, e estava previsto que aterrasse em Luton, em Bedfordshire, mas acabou a divergir para Stansted, seguido por dois caças.

De acordo com a BBC, o avião divergiu devido a um alerta de segurança, que acabou por ser falso.

Os restantes voos no aeroporto de Stansted foram temporariamente suspensos e aguardavam autorização de saída.

Um porta-voz da Força Aérea britânica disse que os dois jatos foram enviados para escoltar o avião de passageiros e autorizados a voar sobre a terra a uma velocidade supersónica, apenas permitida em casos de emergência.

A companhia aérea Ryanair, citada pelos media britânicos, diz que os passageiros serão transferidos para Luton por via terrestre.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.