Ordenada prisão a turista que denunciou assédio sexual

Num vídeo de dez minutos, a mulher contou que dois arrumadores de carros a assediaram sexualmente na rua e também se queixou do comportamento dos condutores da Uber

A Procuradoria-Geral do Egito ordenou hoje a prisão preventiva de uma mulher libanesa por ter insultado o país num vídeo publicado na rede social Facebook.

Mona Mazbuh, que estava de férias no Cairo, foi presa na quinta-feira antes de sair do país, depois do vídeo ter sido difundido nas redes sociais.

O procurador-geral, Nabil Sadeq, determinou que Mazbuh permaneça quatro dias em prisão preventiva para que seja investigada por estes insultos, que são puníveis por lei, informou a agência oficial, MENA.

No vídeo de dez minutos, Mazbuh contou que dois arrumadores de carros a assediaram sexualmente na rua, queixou-se do comportamento dos condutores da Uber, proferiu insultos contra os egípcios em geral e assegurou que o país está cada vez pior.

Entre os impropérios, disse que se sente "feliz com o que está a fazer" o presidente Abdelfatah al Sisi, com o povo, desejando que venha outro mandatário "mais injusto" para converter os egípcios em "mendigos".

Antes de ser presa, segundo o jornal oficial, Al Ahram, Mazbuh publicou outro vídeo pedindo desculpas e dizendo que se tinha queixado apenas junto do seus contactos pessoas.

As autoridades egípcios redobraram as detenções das vozes dissidentes no país e, nas últimas semanas, prenderam ativistas e bloggers por críticas nas redes sociais.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.