Começaram as buscas perto de barco encalhado em área infestada de crocodilos

A Força de Proteção das Fronteiras não especificou o exato número de passageiros e fala apenas num "certo número de estrangeiros potencialmente ilegais"

As autoridades australianas iniciaram esta segunda-feira buscas para encontrar os passageiros de uma embarcação encalhada desde domingo numa área infestada de crocodilos, no nordeste do país.

A Força de Proteção das Fronteiras não especificou o número exato de passageiros, falando apenas num "certo número de estrangeiros potencialmente ilegais".

A embarcação encalhou no domingo perto da Daintree Rainforest, perto do rio Daintree, no norte de Queensland. Moradores da região afirmaram, entretanto, ter visto várias pessoas a fugir para a floresta.

Pelo menos 15 pessoas foram detidas, afirmou à Australian Broadcasting Corporation (ABC) o responsável da Polícia do estado de Queensland, Mark Ryan.

Alguns órgãos de comunicação relatam que os passageiros são provenientes do Vietname, enquanto as autoridades responsáveis pelas buscas falam num barco indonésio.

A Daintree Rainforest, uma das mais antigas do mundo, fica a 120 quilómetros ao norte de Cairns e é o lar de uma grande população de crocodilos e cobras.

"É uma tarefa difícil, está quente e as condições são complicadas. Espero que possamos encontrá-los, independentemente do seu número, porque não é um bom lugar para ficar", disse à ABC Peter Rinaudo, da Proteção Civil daquele estado.

A embarcação em causa será a primeira em quatro anos a alcançar de forma ilegal a costa australiana, país que detém uma política particularmente rígida contra o transporte marítimo de refugiados, os quais sistematicamente rejeita.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.