Começaram as buscas perto de barco encalhado em área infestada de crocodilos

A Força de Proteção das Fronteiras não especificou o exato número de passageiros e fala apenas num "certo número de estrangeiros potencialmente ilegais"

As autoridades australianas iniciaram esta segunda-feira buscas para encontrar os passageiros de uma embarcação encalhada desde domingo numa área infestada de crocodilos, no nordeste do país.

A Força de Proteção das Fronteiras não especificou o número exato de passageiros, falando apenas num "certo número de estrangeiros potencialmente ilegais".

A embarcação encalhou no domingo perto da Daintree Rainforest, perto do rio Daintree, no norte de Queensland. Moradores da região afirmaram, entretanto, ter visto várias pessoas a fugir para a floresta.

Pelo menos 15 pessoas foram detidas, afirmou à Australian Broadcasting Corporation (ABC) o responsável da Polícia do estado de Queensland, Mark Ryan.

Alguns órgãos de comunicação relatam que os passageiros são provenientes do Vietname, enquanto as autoridades responsáveis pelas buscas falam num barco indonésio.

A Daintree Rainforest, uma das mais antigas do mundo, fica a 120 quilómetros ao norte de Cairns e é o lar de uma grande população de crocodilos e cobras.

"É uma tarefa difícil, está quente e as condições são complicadas. Espero que possamos encontrá-los, independentemente do seu número, porque não é um bom lugar para ficar", disse à ABC Peter Rinaudo, da Proteção Civil daquele estado.

A embarcação em causa será a primeira em quatro anos a alcançar de forma ilegal a costa australiana, país que detém uma política particularmente rígida contra o transporte marítimo de refugiados, os quais sistematicamente rejeita.

Ler mais

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.