Detidos os 17 passageiros de embarcação encalhada desde domingo

Barco estava encalhado numa área infestada de crocodilos. As 17 pessoas foram identificadas como vietnamitas

As autoridades australianas encontraram e detiveram os 17 passageiros de uma embarcação que encalhou no domingo numa área infestada de crocodilos, no nordeste do país.

"Todas as pessoas desaparecidas foram localizadas", garantiu à televisão local o diretor dos serviços de emergência do estado de Queensland, Peter Rinaudo, acrescentando que as 17 foram identificadas como cidadãs do Vietname.

Na segunda-feira, dia em que arrancaram as operações de resgate, o ministro da Administração Interna, Peter Dutton, declarou que os passageiros "sem documentos" viajavam a bordo de um navio operado por "contrabandistas de pessoas".

A embarcação em causa foi primeira em quatro anos a alcançar de forma ilegal a costa australiana, de acordo com dados oficiais.

O Governo australiano tem sido criticado por várias organizações internacionais, incluindo a ONU, devido à rigidez política contra os imigrantes ilegais no país, que tentam entrar no país por via marítima.

Dutton, que no início do mês afirmou que o país não vai assinar o Pacto Mundial para a Migração, ultimado em julho na ONU, por considerar que afeta a sua soberania, já prometeu deportar todos os cidadãos do Vietname.

A embarcação encalhou no domingo perto da Daintree Rainforest, perto do rio Daintree, no norte de Queensland. Nesse dia, moradores da região afirmaram ter visto várias pessoas a fugir para a floresta.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.