As 'selfies' com um golfinho acabaram por matá-lo

O animal apareceu numa praia da Argentina, mas já não voltou ao mar...

Ao ver um pequeno golfinho na praia de Santa Teresita, Argentina, os veraneantes não resistiram: pegaram nele, tiraram selfies... e acabaram por matá-lo.

O animal não resistiu ao tempo que esteve fora da água.

O caso foi denunciado por um turista, Hernan Coria, que publicou as imagens no Facebook.

"A ocasião serve para informar a população da necessidade urgente de devolver estes golfinhos ao mar perante o encontro de um deles no mar. É fundamental que as pessoas ajudem a resgatar estes animais, porque cada franciscana conta", alertou a Fundação Vida Selvagem num comunicado.

Franciscana é o nome pelo qual esta espécie de golfinhos é conhecida. Segundo o organismo, trata-se de uma das espécies de golfinhos mais pequenos do mundo - mede entre 1,30 metros e 1,70 metros - e só existe nas águas da Argentina, Uruguai e Brasil. Na costa da Argentina, pensa-se que existam apenas cerca de 30 mil indivíduos, sendo uma espécie vulnerável à extinção.

"O potencial de recuperação desta espécie é muito baixo", alerta a fundação, que explica que os golfinhos franciscana, como outros, não podem permanecer muito tempo fora de água, pois têm uma pele muito grossa e gordurosa que lhes fornece calor. Fora de água podem desidratar e morrer.

Foi o que aconteceu na praia de Santa Teresita.

Exclusivos

Premium

Betinho

"NBA? Havia campos que tinham baldes para os jogadores vomitarem"

Nasceu em Cabo Verde (a 2 de maio de 1985), país que deixou aos 16 anos para jogar basquetebol no Barreirense. O talento levou-o até bem perto da NBA, mas foi em Espanha, Andorra e Itália que fez carreira antes de regressar ao Benfica para "festejar no fim". Internacional português desde os Sub-20, disse adeus há seleção há apenas uns meses, para se concentrar na carreira. Tem 34 anos e quer jogar mais três ou quatro ao mais alto nível.