Antigo 'guarda-costas' de Bin Laden vive de subsídios alemães

Sami A., nome fictício, que vive em Bochum com uma alemã e quatro filhos, terá trabalhado com o antigo líder da al-Qaeda em 2000

Um homem tunisino que vive na Alemanha - onde recebe 1168 euros de subsídios por mês - foi alegadamente guarda-costas de Osama Bin Laden durante vários meses, no Afeganistão, em 2000. Está a ser identificado pelo nome Sami A. e nega a situação, apesar de um tribunal de Düsseldorf acreditar em testemunhos que afirmam que o tunisino trabalhou mesmo com Osama Bin Laden.

A situação foi revelada por um governo regional depois de este ter sido questionado pelo AfD, partido de extrema-direita alemão, explica a BBC.

Por ter medo de ser torturado no seu país natal, a deportação de Sami A. para a Tunísia está posto de parte. O homem foi a tribunal em 2005, num julgamento antiterrorista em que negou ligações jihadistas, e foi investigado por possíveis ligações à al-Qaeda, em 2006, sem que fossem apresentadas quaisquer acusações.

Sami A. tem de se apresentar todos os dias às autoridades, em Bochum, onde reside e para onde se mudou em 2005, depois de ter obtido um visto de residência temporário em 1999. Vive com uma alemã e tem quatro filhos.

Viu o seu pedido de asilo ser rejeitado em 2007 porque as autoridades consideram que pode representar perigo para a segurança do país.

Ler mais

Exclusivos