EUA avisam diplomatas a aumentar medidas de segurança em Caracas

A decisão foi tomada "devido ao aumento de preocupações, em torno do recente sequestro de funcionários da Embaixada, que circulam em viaturas diplomáticas"

DN/Lusa
© REUTERS/UESLEI MARCELINO

A Embaixada dos Estados Unidos em Caracas (EEUC) emitiu esta quarta-feira um comunicado instando os diplomatas norte-americanos a aumentarem as medidas de segurança e a evitarem zonas onde ocorrem sequestros na capital da Venezuela.

"A EEUC informa todos os cidadãos dos EUA na Venezuela que foi atualizada a política sobre os movimentos dos diplomatas norte-americanos e seus familiares, em Caracas e noutros lugares da Venezuela. Como sempre, a Embaixada insta todos os cidadãos que vivem e viajem pela Venezuela a que estejam atentos, em todo o momento, e a que pratiquem boa segurança pessoal", começa por explicar o documento.

Segundo o comunicado, "até novo aviso", entre o bairro La Alameda e o Centro Comercial Santa Fé, "é uma zona de não viagem, desde o anoitecer até à madrugada, diariamente, para todo o pessoal diplomático".

"É altamente recomendado viajar em grupos. A circulação fora da área de residência da Embaixada, de diplomatas dos EUA, entre as 21:00 e as 03:00 horas (locais), deve ser feita em viaturas blindadas ou em grupos que usem pelo menos dois veículos", explica.

O documento explica que a decisão foi tomada "devido ao aumento de preocupações, em torno do recente sequestro de funcionários da Embaixada, que circulam em viaturas diplomáticas, nesta estrada e noutras", e que a medida será revista em 30 dias.

"A EEUC insta firmemente todos os cidadãos dos EUA a evitarem áreas de protesto, mesmo de manifestações pacíficas pois podem transformar-se em confrontos e escalar em violência. Protestos recentes encontraram uma forte presença de forças de polícia / segurança que usaram gás lacrimogéneo e às vezes tiros de borracha"

Segundo o comunicado os cidadãos norte-americanos devem "ter cautela, se inesperadamente se encontrarem próximo de grandes encontros ou protestos" e as áreas afetadas geralmente apresentam interrupções no tráfego.

"Revejam os vossos planos de segurança pessoais. Permaneçam atentos a eventos locais e monitorizem as notícias locais e os media para atualizações situacionais", conclui.

Este é o segundo comunicado emitido esta semana pela Embaixada dos EUA em Caracas. Na segunda-feira a embaixada avisou os cidadãos norte-americanos para evitarem as zonas de protestos, incluindo manifestações pacíficas.