Um mar de plástico na praia da República Dominicana

Em apenas três dias foram recolhidas 30 toneladas de plástico na praia de Montesinos, em Santo Domingo.

Susete Henriques
Um soldado ajuda a limpar a praia de Montesinos, na República Dominicana. Toneladas de lixo deram à costa após uma tempestade tropical. | foto REUTERS/Ricardo Rojas
Soldados da República Dominicana participam nas operações de limpeza da praia de Montesino. | foto REUTERS/Ricardo Rojas
 | foto REUTERS/Ricardo Rojas
 | foto REUTERS/Ricardo Rojas
 | foto REUTERS/Ricardo Rojas
 | foto REUTERS/Ricardo Rojas
 | foto REUTERS/Ricardo Rojas

As imagens que habitualmente nos chegam da República Dominicana são de praias paradisíacas, mas nos últimos dias a realidade mostrou-se bem diferente. Uma equipa da ONG Parley Oceans, que se dedica à conservação dos oceanos, registou e divulgou um vídeo com os detritos que deram à costa na praia de Montesinos, em Santo Domingo. Um manto de lixo a boiar no mar trazido por uma tempestade tropical.

ONG trabalhou com elementos da marinha, das forças armadas e funcionários públicos - cerca de 500 - e recolheu 30 toneladas de plástico em apenas três dias. "Precisamos de uma onda de mudança e uma revolução material", pede a Parley Oceans.

"No passado enviávamos postais de praias mágicas e palmeiras. Agora, são ondas de resíduos plásticos. A menos que façamos alguma coisa agora, a geração futura não irá acreditar que os cenários dos postais alguma vez tenham existido. Estamos a pedir uma Revolução Material - o plástico tem de desaparecer", defende Cyrill Gutsch, fundador da Parley.

A organização está a transformar o plástico recolhido em produtos de consumo, uma forma de alertar para a poluição nos oceanos e para a necessidade de eliminar o desperdício de plástico.