Temperaturas recorde no Japão já mataram 40 pessoas

Maioria das vítimas são idosos, que não usam ar condicionado

Ana Bela Ferreira
 | foto REUTERS/Issei Kato
 | foto REUTERS/Issei Kato

A temperatura numa cidade a norte de Tóquio atingiu hoje os 41,1 graus Celsius, a mais alta registada no Japão, quando uma onda de calor mortal tomou conta de faixa do país e da vizinha Coreia do Sul.

O recorde foi atingido na cidade de Kumagaya, na província de Saitama, que fica a cerca de 65 quilómetros a noroeste de Tóquio, informou a Agência Meteorológica do Japão.

Um sistema persistente de alta pressão levou temperaturas recordes para a região já há uma semana, matando mais de 40 pessoas no Japão e 10 na Coreia do Sul.

Milhares de pessoas no Japão foram levadas para hospitais com sintomas de insolação. A agência de notícias Kyodo registou mais de 40 mortes no país. Muitas das vítimas são pessoas idosas que não usam ar condicionado.

Na Coreia do Sul, 10 pessoas morreram de insolação e outras causas relacionadas com o calor neste verão. Sete deles morreram na semana passada, segundo os Centros de Controle e Prevenção de Doenças da Coreia.

Cerca de 1.040 pessoas adoeceram devido ao calor, entre 20 de maio e 21 de julho, um aumento de 61% em relação ao mesmo período do ano passado.

A Temperatura mais elevada da manhã na Coreia do Sul foi registada na cidade de Gangneung, onde os termómetros chegaram aos 31 graus Celsius às 6:45. Já em Seul a temperatura mais baixa durante a manhã foi de 29,2 graus, a maior registada na capital do país, segundo a agência meteorológica da Coreia do Sul.

O mercúrio atingiu 39,9 graus Celsius na cidade de Hayang, no sudeste do país, a mais alta temperatura registada no país este ano.

As autoridades japonesas aconselharam a população a permanecer em casa e usar o ar condicionado.