Senador John McCain desiste de tratamento a tumor no cérebro

Família do ex-candidato à Casa Branca diz que "com a sua habitual força de vontade" e após ter superado "as expectativas para a sua sobrevivência", ele "escolheu descontinuar o tratamento médico".

Susana Salvador
John McCain no Senado, em julho de 2017, pouco antes de ser revelado que tinha um tumor no cérebro© ARQUIVO EPA/MICHAEL REYNOLDS

Um ano após revelar que tinha sido diagnosticado com um tipo agressivo de tumor no cérebro (glioblastoma), o senador republicano John McCain tomou a decisão de pôr fim ao tratamento, anunciou a família.

"John superou as expectativas para a sua sobrevivência", indicou a família do veterano da guerra do Vietname, hoje com 81 anos. "Mas o progresso da doença e o inexorável avanço da idade deixam o seu veredito", explica. "Com a sua habitual força de vontade, ele escolheu agora descontinuar o tratamento médico", acrescentaram os familiares do ex-candidato presidencial em 2008.

O comunicado foi partilhado no Twitter de Meghan McCain, filha do republicano que representa o Arizona no Senado há 35 anos, que agradece o apoio que tem sido dado à família.

Apesar de ser republicano, McCain não tem poupado críticas ao presidente Donald Trump, que no passado disse que ele não podia ser considerado um herói de guerra porque foi feito prisioneiro durante a guerra do Vietname. Com o seu voto, no Senado, McCain travou, por exemplo, a revogação do Obamacare (a reforma de saúde de Barack Obama), tão desejada por Trump.