Rajoy voltou à sua antiga profissão... 49 minutos atrasado

Ex-primeiro-ministro espanhol voltou a ser conservador de registo predial. Chegou atrasado no primeiro dia. À entrada recusou comentar corrida à sua sucessão na liderança do PP

Patrícia Viegas
Ex-primeiro-ministro espanhol Mariano Rajoy

Mariano Rajoy voltou esta quarta-feira a ser conservador do registo predial, 28 anos depois de ter abandonado a profissão por causa da política. O ex-primeiro-ministro espanhol chegou atrasado à conservatória de Santa Pola, em Alicante, onde deveria ter entrado às 09.00. 49 minutos, segundo os jornalistas, que estavam à sua espera para ver que comentários iria fazer sobre a guerra pela sua sucessão no PP.

"Não tenho muito a dizer. Retiro-me da política e volto onde estava. Convoquei um congresso, saio e agora a palavras é dos militantes. Não tenho nada a transmitir aos candidatos [à liderança do PP]", declarou aos jornalistas à porta da conservatória daquela cidade com 35 mil habitantes. Rajoy renunciou ao lugar de deputado na semana passada depois de ter sido expulso do poder através da moção de censura apresentada pelo socialista Pedro Sánchez.

Seis candidatos apresentaram-se na corrida para a presidência do PP pós-Rajoy. As duas principais são a ex-ministra da Defesa María Dolores de Cospedal e a ex-vice-primeira-ministra de Espanha Soraya Sáenz de Santamaría. A primeira conseguiu 3336 assinaturas, a segunda não quis revelar.

No duelo Soraya versus Cospedal começam já a chover apoios. O ex-ministros Fátima Báñez e Íñigo de la Serna manifestaram publicamente o apoio a Soraya. O presidente da Comunidade de Madrid, Ángel Garrido, admitiu, por seu lado, numa entrevista, que a candidata que tem o seu "perfil favorito" é Cospedal. Esta foi até agora secretária-geral do PP.