PSOE demarca-se do apoio de Iceta a indulto aos independentistas

Ciudadanos e PP rejeitam a ideia do candidato socialista. Rajoy e Sánchez participaram ontem na campanha catalã

Susana Salvador
Pedro Sánchez (à direita) esteve ontem em campanha com Miquel Iceta (de gravata)© EPA/Andreu Dalmau

O líder dos socialistas catalães (PSC), Miquel Iceta, disse ontem à rádio RAC-1 que se for eleito presidente da Generalitat pedirá o indulto dos independentistas que sejam eventualmente condenados ao abrigo da investigação do Supremo Tribunal. Uma proposta que terá apanhado de surpresa o PSOE, que reagiu dizendo que essa é a "opinião" de Iceta. Já Ciudadanos e Partido Popular, os outros partidos não independentistas, criticaram a proposta do candidato socialista.

"Sem dúvida que pedia o indulto porque neste país temos de fechar as feridas que têm uma origem política", referiu Iceta, lembrando que sempre considerou desproporcional a decisão de manter os políticos e dirigentes civis presos. "A prisão preventiva faz mais sentido para outro tipo de crimes. Mas, num Estado de direito, não temos outro remédio que acatar o que o juiz diz. Isto não quer dizer que estejamos de acordo", defendeu. A decisão de indultar um condenado cabe ao governo espanhol e não à Generalitat.

Os ex-membros do governo catalão são acusados de rebelião, sedição e peculato na organização do referendo e posterior declaração unilateral de independência, assim como os membros da Mesa do Parlamento. Já os líderes das associações Òmnium Cultural e Assembleia Nacional Catalã são acusados de sedição nos protestos prévios ao referendo.

A direção do PSOE (aliados a nível nacional do PSC) terá ficado surpreendida com a declaração de Iceta, distanciando-se dela. "É a sua opinião, que respeito, mas em todo o caso é a sua opinião", afirmou a número dois do PSOE, Adriana Lastra, citada pelo El Mundo. Em campanha na Catalunha com Iceta, o secretário-geral socialista, Pedro Sánchez, não abordou o tema no discurso num comício em Sabadell, a norte de Barcelona.

As maiores críticas vieram dos outros partidos ditos constitucionalistas, isto é, não independentistas. O líder nacional do Ciudadanos, Albert Rivera, reagiu no Twitter: "Se querem proibir os indultos a políticos por peculato e prevaricação, votem Ciudadanos. Se querem indultos a políticos, votem PSC-PSOE." Já o candidato do PP catalão, Xavier García Albiol, pediu a Iceta que se "concentre no prioritário em vez de indultar quem tentou romper com Espanha".

Albiol visitou ontem o mercado de Badalona, cidade de que foi presidente da câmara, e as caves da Freixenet (famosa marca de cava, o espumante catalão) junto com o primeiro-ministro. Mariano Rajoy tirou selfies com os habitantes de Badalona, mas foi recebido com uma manifestação de independentista em Sant Sadurní d"Anoia. Na empresa, que optou por manter a sede social na Catalunha apesar da indefinição política, Rajoy pediu aos espanhóis para não boicotarem os produtos catalães.