Primeiro-ministro do Haiti demite-se após protestos violentos

Lafontant anunciou a demissão após a tentativa do Governo em aumentar o preço dos combustíveis

Paula Freitas Ferreira
© REUTERS/Andres Martinez Casares

O primeiro-ministro do Haiti, Jack Guy Lafontant, anunciou hoje a sua demissão, depois de uma semana de violentos protestos contra uma tentativa do Governo em aumentar o preço dos combustíveis.

"Antes de aqui vir, apresentei a minha demissão ao Presidente da República, que a aceitou, e como eu disse, estou ao serviço da República", afirmou Lafont no parlamento, onde se dirigiu acompanhado pelos seus ministros.

Os deputados tinham já exigido que saísse do executivo.

Na sexta-feira, na sua conta na rede social Twitter, Jack Guy Lafont tinha recusado demitir-se, e hoje anunciou a sua demissão de molde a evitando assim uma moção de censura dos deputados, e depois de centenas de milhar de haitianos se terem manifestado nas ruas da capital.

O Governo anunciara uma subida dos preços da gasolina em 38%, do gasóleo em 47% e do querosene em 51%, a partir de hoje à meia-noite, o que originou uma vaga de protestos nos passados dias 06, 07 e 08.

Nas principais cidades e estradas do país foram erguidas barricadas, paralisando toda atividade. A violência foi mais forte na capital, Porto Príncipe, onde se registaram incêndios e pilhagens, tendo causado a morte a pelo menos quatro pessoas, noticiou a AFP.

Jack Guy Lafontant é médico e era um desconhecido nos meios políticos até ter sido nomeado em fevereiro, e é um amigo de Jovenel Moïse, que exerce o cargo de Presidente da República desde 7 de fevereiro de 2017.