Estrela Michelin para restaurante que devia estar fechado

Espaço Nub apenas tinha uma licença, de 1954, para "pastelaria". Donos admitem estar já à procura de um novo espaço

Rui Salvador
Os responsáveis pelo restaurante© Site Nub

"Atenção, serviço, conforto, qualidade, luxo e gastronomia". Estes foram os motivos que deram ao restaurante Nub a sua primeira estrela Michelin. Um momento histórico para o restaurante que fica em Tenerife, Espanha, mas existem dois problemas: tem ordem de fecho por falta de licença de funcionamento e tem "deficiências no que toca à segurança".

Fontes do município de San Cristóbal de la Laguna confirmaram ao El País a situação, explicando que pensavam que o Nub estava encerrado pelo menos desde 15 de setembro de 2016. No entanto, os representantes do prestigiado Guia Michelin afirmam que visitaram o espaço, pelo menos três vezes, em 2017.

Os donos do restaurante, o italiano Andrea Bernardi e a chilena Fernanda Fuentes, estiveram na gala de entrega da estrela Michelin e comunicaram à organização do evento que estão à procura de um novo local para instalar o restaurante. Com efeito, e apesar dos elogios feitos pelo Guia ao restaurante, os "inspetores" do mesmo não solicitam "escrituras, nem licenças" quando visitam os espaços, sempre sob anonimato.

O imóvel em que se encontra o restaurante tem uma "licença de 1954 para pastelaria", informou fonte municipal ao jornal espanhol. Nem foi, em mais de 60 anos, comunicada qualquer "modificação ou atualização das instalações".

Numa inspeção feita ao Nub, em 2016, os técnicos descobriram problemas de segurança, o que impedia que o espaço pudesse estar aberto ao público. Em setembro do mesmo ano, uma nova inspeção terá garantido que o espaço estava efetivamente fechado.

Este facto não coincide com o que contam fontes do Guia Michelin, que visitaram o espaço pela última vez em julho, e que "foram sempre atendidos" quando telefonaram para o espaço à procura de informações adicionais.

O El País afirma que Andrea Bernardi reconheceu, um dia depois de receber a estrela, que não dispunha mesmo de licença e que iriam mudar de local porque "as obras demorariam muito tempo".

O restaurante vai sair do site e da app do Guia Michelin, mas manter-se-á na edição impressa de 2018.