Comem e fogem. Prejuízo já supera os 12 mil euros

Polícia investiga casos de grupos que saem de restaurantes e hotéis sem pagar contas milionárias

DN
© Facebook El Hotel Carmen

Comem, bebem, dançam e até lançam fogo-de-artifício. O único problema? Não pagam a conta. Os casos têm sido registados em Espanha estão a ser investigados. A polícia já deteve um homem, de nacionalidade romena, que terá feito uma das reservas nos restaurantes burlados.

Os burlões marcam banquetes, para cerca de 120 pessoas, mas quando chega a hora da sobremesa, levantam-se e desaparecem rapidamente, deixando para trás milhares de euros de prejuízo para quem os recebeu.

"Tínhamos acabado de servir o bolo e eles simplesmente foram embora. Sem insultos, sem serem rudes. Meteram-se nos carros e foram embora", disse Antonio Rodriguez, de acordo com o The Guardian. Rodriguez é o proprietário do primeiro estabelecimento a fazer queixa às autoridades, o Hotel Carmen, depois de se ver a braços com uma conta de 2200 euros por pagar. Aconteceu em Bembibre, na região de Leão e Castela, numa cerimónia que era alegadamente para celebrar o batismo de dois rapazes. Tiveram direito a tudo, mas disseram que não à sobremesa e foram embora. "atropelando-se". Rodriguez já tinha um depósito de 900 euros, mas duvida que vá receber o resto do dinheiro.

Poucos dias depois, em Ponferrada, a cerca de 20 quilómetros de distância de Bembibre, foi servido um banquete para um casamento no valor de dez mil euros. O resultado foi o mesmo: ninguém pagou.

A norte da Galiza aconteceu cena semelhante, com os clientes a desaparecerem depois de terem saído da sala para lançarem fogo-de-artifício.

De acordo com a Associated Press, um porta-voz das autoridades da região de Leão confirmou que um suspeito foi detido. Outro está desaparecido e poderá até já ter deixado Espanha. Já há mais suspeitos identificados, mas a polícia não revelou mais detalhes, para não alertar os burlões.