Bruxelas expressa condolências ao Japão pelos 11 mortos causados pelo tufão Jebi

Ciclone trouxe chuvas torrenciais e ventos fortes e causou vários danos, especialmente em Osaka

Rui Salvador
Rasto de destruição causado pela passagem do tufão Jebi.© EPA/BUDDHIKA WEERASINGHE

A Comissão Europeia endereçou esta quarta-feira condolências ao povo e autoridades do Japão, onde pelo menos 11 pessoas morreram e centenas ficaram feridas na sequência do tufão Jebi, e mostrou-se disponível para ajudar.

"A Comissão Europeia quer expressar as condolências ao povo japonês, às autoridades, à família e amigos daqueles que perderam os seus entes queridos ou que foram afetados pelo tufão Jebi. Reiteramos a nossa solidariedade para com o Japão, e estamos preparados para providenciar assistência", disse o porta-voz do executivo comunitário, Margaritis Schinas, na conferência de imprensa diária da instituição.

Pelo menos 11 pessoas morreram e centenas ficaram feridas no Japão, na sequência do tufão Jebi, considerado o mais violento a atingir diretamente o arquipélago em 25 anos, informou a televisão pública NHK.

"Este tufão causou sérios danos, especialmente na região de Osaka", disse hoje o primeiro-ministro nipónico, Shinzo Abe, que prometeu "o máximo de esforços para resolver a situação e reabilitar as infraestruturas".

A passagem do ciclone trouxe chuvas torrenciais e ventos fortes, com rajadas que atingiram nalguns locais os 220 quilómetros/hora.

O Jebi, o vigésimo primeiro tufão desta temporada no Pacífico, foi catalogado como "muito forte" pela Agência Meteorológica do Japão, o primeiro com esta intensidade a chegar ao arquipélago desde 1993.

Uma grande parte do oeste do Japão foi atingida no início de julho por fortes inundações e deslizamentos de terra que resultaram na morte de mais de 200 pessoas e milhares de desalojados, naquele que foi considerado o mais grave desastre meteorológico no país desde 1982.