Abalo de magnitude 7.0 na América Central. Alerta de tsunami levantado

O epicentro localizou-se a 154 quilómetros a sudoeste de Puerto Triunfo, em El Salvador, segundo os dados da agência geológica dos EUA. Alerta de tsunami chegou a ser emitido e populações foram aconselhadas a afastar-se da costa.

Um forte sismo abalou a América Central, com o epicentro localizado a uma profundidade de 10,3 quilómetros, a 154 quilómetros da costa de El Salvador, no Oceano Pacífico. O abalo, registado às 12.43 locais (18.43 em Lisboa), surge na mesma altura em que um furacão ameaça a costa das Caraíbas da Nicarágua e Costa Rica (onde o abalo também foi sentido).

O Centro de Alerta de Tsunamis do Pacífico alertou para o risco de tsunami, tal como o Ministério do Meio Ambiente e Recursos Naturais (MARN) de El Salvador. Segundo a ministra Lina Pohl, uma onda de até três metros de altura poderá atingir a costa do país. Contudo, segundo o Centro de Alerta de Tsunamis do Pacífico, a onda não deveria ter mais do que um metro. Mais tarde, o mesmo centro levantou o alerta de tsunami, apesar de indicar que poderia haver uma pequena flutuação do nível do mar em algumas zonas costeiras.

Após o sismo, Proteção Civil de El Salvador avisou no Twitter para as populações se afastarem das zonas costeiras. "Por favor, as pessoas que estão na costa, afastem-se da costa, protejam-se e vão para um lugar seguro", indicou a ministra. Depois de levantado o alerta de tsunami, alertava-se ainda assim para a população não entrar no mar.

Para já, não há registo de danos provocados pelo sismo, inicialmente apontado como sendo de magnitude 7.2, mas entretanto revisto para 7.0.

Já foram também registadas pelo menos cinco réplicas, segundo o Twitter do MARN, que avisa foram registadas apenas pequenas variações no nível normal do mar.

Já esta quinta-feira, o furacão Otto, de categoria 2, atingiu terra na Nicarágua, tendo milhares de pessoas sido retiradas das suas casas e colocadas em abrigos. O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, declarou o estado de emergência por causa do furacão e do sismo. O Otto deverá atravessar a Nicarágua e a Costa Rica, seguindo para o Pacífico.

"Estávamos a servir o almoço aos deputados quando começou o sismo e sentimos que foi muito forte", disse Jacqueline Najarro, uma funcionária do Congresso, em San Salvador, citada pela Reuters. "Ficámos com medo", acrescentou.

Ler mais

Premium

Henrique Burnay

Discretamente, sem ninguém ver

Enquanto nos Estados Unidos se discute se o candidato a juiz do Supremo Tribunal de Justiça americano tentou, ou não, há 36 anos abusar, ou mesmo violar, uma colega (quando tinham 17 e 15 anos), para além de tudo o que Kavanauhg pensa, pensou, já disse ou escreveu sobre o que quer que seja, em Portugal ninguém desconfia quem seja, o que pensa ou o que pretende fazer a senhora nomeada procuradora-geral da República, na noite de quinta-feira passada. Enquanto lá se esmiúça, por cá elogia-se (quem elogia) que o primeiro-ministro e o Presidente da República tenham muito discretamente combinado entre si e apanhado toda a gente de surpresa. Aliás, o apanhar toda a gente de surpresa deu, até, direito a que se recordasse como havia aqui genialidade tática. E os jornais que garantiram ter boas fontes a informar que ia ser outra coisa pedem desculpa mas não dizem se enganaram ou foram enganados. A diferença entre lá e cá é monumental.