Ameaça de bomba em avião alemão que seguia para Egito

O aparelho aterrou de emergência na Hungria. Não havia engenhos explosivos a bordo

Um avião alemão de passageiros que partiu de Berlim em direção à cidade egípcia de Hurghada aterrou hoje de emergência na Hungria, depois de uma ameaça de bomba a bordo.

Segundo o 'site' húngaro Airportal, ao aproximarem-se de Belgrado, na Sérvia, os pilotos da companhia aérea Condor decidiram voltar atrás e aterrar em Budapeste o aparelho Airbus A321-211, que levava 130 passageiros e sete tripulantes.

Outra página de Internet dedicada ao tráfego aéreo, LiveATC.net, indicou que caças húngaros escoltaram o avião até ao aeroporto de Budapeste. Várias testemunhas afirmaram que carros de bombeiros e ambulâncias rodearam o aparelho após a aterragem.

Entretanto, a polícia já anunciou que não foi encontrado qualquer engenho explosivo a bordo.

A Condor informou que recebeu uma "ameaça não especificada" através de um telefonema.

Os serviços de segurança estão em alerta para aviões com passagem no Egito após o derrube de um avião de passageiros russo que levantou da cidade balnear de Sharm el-Sheikh no dia 31 de outubro, num atentado à bomba reivindicado pelo grupo terrorista Estado Islâmico.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.