Alerta terrorista obriga a reforço de segurança no aeroporto de Amesterdão

Forças militares estão a fazer inspeções no local. Autoridades dizem que medidas têm "caráter preventivo"

Um alerta de terrorismo obrigou hoje ao reforço das medidas de segurança no aeroporto internacional de Schipol, perto de Amesterdão, num dos fins de semana com maior trafego aéreo do verão, segundo os meios de comunicação holandeses.

A cadeia holandesa NOS sugere que pode tratar-se de um aviso por ameaça terrorista, enquanto outros meios de comunicação, como o jornal "De Telegraaf", dizem que não é clara a natureza da comunicação e que as medidas têm um caráter preventivo.

Forças militares estão controlar a chegada de veículos ao aeródromo e a realizar inspeções minuciosas a alguns deles, contaram à NOS algumas testemunhas no local.

A Câmara de Haarleemmermeer, cidade onde está localizado o aeroporto, e o coordenador nacional de terrorismo e segurança confirmaram a decisão de reforçar as medidas de segurança, mas não especificaram que o tipo de aviso que receberam.

Um porta-voz do coordenador nacional disse hoje ao "De Telegraaf" que não pode dar detalhes sobre a natureza do aviso, assegurando que as medidas têm um caráter "preventivo".

A Holanda está em risco elevado de alerta de atentado terrorista desde 2013.

Além dos controles sobre os veículos e o reforço das patrulhas no aeroporto e arredores, foram tomadas outras medidas "invisíveis", segundo a NOS.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Brexit

"Não penso que Theresa May seja uma mulher muito confiável"

O diretor do gabinete em Bruxelas do think tank Open Europe afirma ao DN que a União Europeia não deve fechar a porta das negociações com o Reino Unido, mas considera que, para tal, Theresa May precisa de ser "mais clara". Vê a possibilidade de travar o Brexit como algo muito remoto, de "hipóteses muito reduzidas", dependente de muitos fatores difíceis de conjugar.

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.