Alerta em Paris. Chuva vai fazer o Sena subir quase seis metros

Regiões do centro de França estão a braços com as inundações provocadas pela chuva constante. Condições atmosféricas pioram nas próximas horas

Uma mulher morreu e dezenas de casas foram evacuadas nas regiões do centro de França depois de vários dias de chuva constante que, em algumas zonas, já provocaram as piores inundações do último século. A situação tem sido particularmente complicada nas regiões atravessadas pelos rios Loire e Sena, cujas águas galgaram as margens.

A capital francesa está em alerta há dois dias e é esperado um agravamento das condições climatéricas nas próximas horas, numa altura em que a subida do rio já obrigou a cortar a circulação nas estradas junto ao Sena: os célebres bateaux-mouches, que navegam pelo rio em Paris e fazem as delícias dos turistas, também estão parados.

Nível das águas do Sena vai continuar a subir nas próximas horas

Manuel Valls, o primeiro-ministro francês, já admitiu que as condições devem piorar com o avançar do dia. Na quarta-feira, uma mulher de 86 anos foi encontrada morta na sua casa inundada em Souppes-sur-Loing, a cerca de 130 quilómetros de Paris, apesar de a autarquia já ter vindo dizer que não ficou provado que a morte se deva ao mau tempo. Não seria a única vítima mortal das intempéries na Europa: na Alemanha, quatro pessoas morreram devido às inundações provocadas pela chuva torrencial, entre as quais três mulheres da mesma família, e outras quatro estão desaparecidas na Baviera.

Em Paris, os responsáveis esperam que as águas do rio Sena subam até aos 5,60 metros na sexta-feira, um valor ainda abaixo dos seis metros que farão inundar os túneis do metropolitano parisiense. O recorde de subida do rio que atravessa a capital francesa foi registado em 1910: 8,60 metros. Ainda assim, uma das linhas de comboio - RER C - que passa pela Ponte das Almas ou o Musée d'Orsay - vai estar interrompida a partir das 16.00 desta quinta-feira (menos uma hora em Portugal).

Pelas 13.00 em França, segundo números avançados pela Enedis - empresa de distribuição de eletricidade - ao Parisien, cerca de 24 mil casas estavam sem eletricidade, das quais quase dez mil na região de Seine-et-Marne.

O instituto de meteorologia francês já revelou que a região de Paris registou em maio o maior nível de precipitação desde 1960.

Na região do Loiret, onde as autarquias mobilizaram o exército para evacuar os motoristas que ficaram bloqueados na autoestrada A10, perto de Orleães, as inundações são as mais severas dos últimos 100 anos.

Também na região de Orleães, a chuva levou a uma fuga, no mínimo, original: dois indivíduos que terão assaltado um supermercado viram-se obrigados a nadar para escapar à polícia, depois de terem sido obrigados a abandonar o veículo que queriam utilizar devido às cheias, conta o Le Figaro. Acabaram por desistir e entregar-se à polícia já enregelados e esgotados: nalguns pontos, a água chegava ao metro e meio de altura.

Com Reuters

Exclusivos