Agressões brutais a polícias franceses foram filmadas pelos atacantes

Polícia foi chamada a intervir numa festa de réveillon e dois agentes foram brutalmente agredidos. Um deles, uma mulher, foi pontapeada repetidamente no chão. Imagens foram divulgadas nas redes sociais

Dois agentes da polícia francesa ficaram feridos na noite de domingo, véspera de ano novo, depois de terem sido brutalmente agredidos após serem chamados a intervir devido a desacatos numa festa privada.

As agressões aconteceram pouco antes da meia noite de segunda-feira, dia 1 de janeiro: cerca de 300 a 400 pessoas queriam entrar num pavilhão em Champigny-sur-Marne, nos arredores de Paris, onde se realizava uma festa de ano novo e onde já tinham entrado cerca de 200 pessoas. O espaço "não tinha dimensão para as acolher", explicou à BFMTV Jean-Yves Oses, o diretor territorial de segurança pública.

Sob pressão da multidão, a porta do recinto cedeu e entraram dezenas de pessoas antes de serem retiradas do interior pela polícia, que estava no local para acalmar os ânimos. "Um grupo de indivíduos particularmente violentos começou a atacar os polícias, que tiveram de fazer uso de meios lacrimogéneos", explicou Oses. Uma patrulha que se encontrava no local foi visada com mais violência: o capitão e uma agente foram brutalmente agredidos, sendo que o homem ficou com o nariz partido e a mulher sofreu traumatismos vários, sobretudo no rosto.

O grupo de agressores chegou mesmo a filmar o ataque aos polícias e a colocar as imagens nas redes sociais. No vídeo, é visível a brutalidade dos golpes: o capitão tentou disparar a arma mas não teve força, enquanto a agente, caída no chão, é pontapeada de todos os lados, tentando sem sucesso cobrir a cabeça com os braços para evitar ferimentos mais graves.

Os agentes foram internados e tiveram alta segunda-feira ao final do dia.

Duas pessoas estão já sob custódia da polícia, mas por outros delitos ocorridos na mesma noite, sem relação com as agressões. O presidente francês reagiu no Twitter, denunciando um "linchamento cobarde e criminoso" dos polícias e garantindo que os responsáveis serão encontrados e punidos. "A força permanecerá com a lei", escreveu Emmanuel Macron.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".