Agora já pode ver Vladimir Putin todos os meses

Calendário para 2016 promete "O ano todo com o presidente da Rússia".

Que Vladimir Putin não foge das objetivas dos fotógrafos, não é novo. São famosas as suas fotografias em tronco nu a cavalo, ao lado de um tigre ou a pescar. Agora, algumas dessas imagens e outras podem ser vistas num calendário para 2016 que promete "O ano todo com o presidente da Rússia".

O Daily Mail reproduziu algumas destas imagens depois de o estudante britânico Jack Arper ter comprado um destes calendários num quiosque de São Petersburgo, onde estava a estudar russo.

Produzido pela revista russa Estrelas e Conselho, o calendário mostra o lado duro de Putin, mas também o seu lado mais terno, como na imagem de novembro, na qual surge abraçado a um cachorro. Esta vem acompanhada da mensagem "Os cães e eu temos sentimentos fortes uns para com os outros".

No mês anterior, o cenário - tal como a mensagem - é bem mais bélico: vestido de marinheiro, Putin sublinha o poderio russo: "Ninguém vai ganhar superioridade militar sobre a Rússia. O nosso exército é contemporâneo, capaz e formidável".

Em março e setembro, o tema são as mulheres. Numa das imagens, o presidente surge a cheirar uma flor, na outra, a dançar com uma jovem de traje tradicional. Há ainda uma foto de Putin ao lado de um cavalo e uma outra em que surge a fazer exercício.

A maior parte das imagens do calendário são de 2015, com exceção de uma em que Putin empunha um peixe enorme, apanhado durante uma pescaria na Sibéria em 2013.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).