Aeroporto JFK cancela voos. Nova Iorque em estado de emergência

Emergência na região sul do estado de Nova Iorque deve-se a ventos fortes e a uma tempestade de neve

Um dos principais aeroportos dos Estados Unidos, o JFK, cancelou hoje todos os seus voos e o governador do estado de Nova Iorque declarou o estado de emergência devido à forte tempestade de neve que se regista na região.

O aeroporto JFK, que serve a cidade de Nova Iorque e é um dos principais pontos de entrada nos EUA, anunciou, numa mensagem divulgada pela rede social Twitter, que cancelou todos os voos.

A administração do aeroporto referiu que os cancelamentos se devem aos fortes ventos e à tempestade de neve, pedindo aos passageiros que entrem em contacto com as companhias aéreas para reprogramar os seus voos.

"Não é uma tempestade de neve normal, é uma tempestade de neve com ventos de grande velocidade, que criam uma situação grave", afirmou por seu turno o governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo, numa conferência de imprensa para atualizar as informações sobre as condições meteorológicas.

O estado de emergência foi declarado para toda a região sul do estado, que inclui a cidade de Nova Iorque e a zona de Long Island, e permite que as autoridades, entre outras coisas, adotem medidas que precedam as das autarquias locais.

A tempestade de neve começou a cair durante a madrugada na zona costeira de Long Island e Nova Jérsia e, desde às 12:30 horas (em Lisboa), começou a afetar com força a ilha de Manhattan.

A zona mais castigada é do condado de Suffolk, em Long Island, onde o autarca local, Steve Bellone, qualificou a tempestade como "muito perigosa".

As autoridades da cidade de Nova Iorque decidiram, ainda na quarta-feira à noite, cancelar as atividades nas escolas e na Universidade de Nova Iorque (CUNY).

Em Nova Iorque, espera-se hoje uma temperatura de -4 graus Celsius, com sensação térmica de -13 graus devido aos ventos gelados, sendo que na sexta-feira e no sábado espera-se uma forte descida das temperaturas.

No estado de Nova Jérsia, o governador Chris Christie declarou também estado de emergência em quatro condados da costa atlântica.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os aspirantes a populistas

O medo do populismo é tão grande que, hoje em dia, qualquer frase, ato ou omissão rapidamente são associados a este bicho-papão. E é, de facto, um bicho-papão, mas nem tudo ou todos aqueles a quem chamamos de populistas o são de facto. Pelo menos, na verdadeira aceção da palavra. Na semana em que celebramos 45 anos de democracia em Portugal, talvez seja importante separarmos o trigo do joio. E percebermos que há políticos com quem podemos concordar mais ou menos e outros que não passam de reles cópias dos principais populistas mundiais, que, num fenómeno de mimetismo - e de muito oportunismo -, procuram ocupar um espaço que acreditam estar vago entre o eleitorado português.