Advogado de Trump diz "não respeitar" Stormy Daniels por ser atriz porno

A atriz de filmes pornográficos volta a ser descredibilizada por um elemento próximo do presidente dos EUA, com quem afirma ter tido um caso

Rudy Giuliani, ex-presidente da cidade de Nova Iorque e atual advogado de Donald Trump, veio a público afirmar que a atriz de filmes pornográficos Stormy Daniels, que garante ter tido um caso com o presidente dos Estados Unidos, "não merece respeito" por causa de seu trabalho, lê-se em notícia avançada pela BBC .

"Eu respeito as mulheres, mas uma mulher que vende o corpo para exploração sexual eu não respeito. Alguém que vende o corpo por dinheiro não tem bom nome. Eu posso ser antiquado", disse à estação britânica.

A defesa de Stormy Daniels não gostou destas declarações. O advogado Michael Avenatti utilizou o Twitter para chamar Giuliani de "misógino".

"Os comentários mais recentes sobre a minha cliente, que passou no teste do detetor de mentiras e em quem o povo americano acredita, são repugnantes."

E lançou algumas farpas ao colega de profissão:

"O seu cliente, Donald Trump, não parece ter tido nenhum problema 'moral' quando se envolveu com ela e com as outras em 2006 e posteriormente."

Recorde-se que a estrela de filmes adultos afirma ter tido um caso com o presidente norte-americano, durante um torneio de golfe em Lake Tahoe.

Em abril, Daniels processou Trump, acusando-o de tentar manchar a sua reputação.

Ler mais

Exclusivos

João Almeida Moreira

DN+ Cadê o Dr. Bumbum?

Por misturar na peça Amphitruo deuses, e os seus dramas divinos, e escravos, e as suas terrenas preocupações, o dramaturgo Titus Plautus usou pela primeira vez na história, uns 200 anos antes de Cristo, a expressão "tragicomédia". O Brasil quotidiano é um exemplo vivo do género iniciado por Plautus por juntar o sagrado, a ténue linha entre a vida e a morte, à farsa, na forma das suas personagens reais e fantásticas ao mesmo tempo. Eis um exemplo.